Últimas Notícias

03 abril 2019

EMPRESA DE CONTROLE DE PRAGAS EM IRACEMA-CE


Para uma desinsetização completa, a FORTEX CONTROLE DE PRAGAS realiza tal serviço através de técnicas altamente eficientes, com aplicações precisas e que eliminam baratas, moscas, formigas, entre outros insetos em diversos ambientes.
FORTEX CONTROLE DE PRAGAS utiliza sempre a forma mais eficiente e segura de executar os tratamentos, tomando sempre o cuidado de que não haverá uso de produtos em excesso (para não causar intoxicações) e também a garantia de não utilizar produtos em quantidade insuficiente (o que causaria baixa eficiência no tratamento). A forma de tratamento varia de acordo com a praga em questão e o local a ser tratado.

Desinsetização: Proporcionar o controle de insetos das instalações do estabelecimento focado no controle de insetos rasteiros identificados, bem como no controle e prevenção, através de aplicação de produtos químicos e revisões sempre que se fizerem necessárias, num período determinado, que será o tempo de ação residual do produto aplicado.

Desinsetização área interna: Controle de insetos e outras pragas como: pulgas, baratas, traças, carrapatos, cupins, entre outras.

Desinsetização área externa: Incluindo o controle de carrapatos, aranhas, escorpiões, pulgas baratas, entre outras espécies.Com relação aos equipamentos, utilizamos: polvilhadeiras, pulverizadores manuais e motorizados, atomizadores, termonebulizadores, aplicadores de iscas-gel e outros equipamentos que são selecionados caso a caso considerando as particularidades de cada cliente e de cada situação.Saiba mais sobre o controle de pragas urbanas da FORTEX CONTROLE DE PRAGAS e sobre os nossos outros serviços.


Um dos maiores problemas das grandes cidades é a infestação de ratos, isso porque são vários os tipos de doenças que podem ser transmitidas, como por exemplo, a Leptospirose e a Hantavírus.
E a FORTEX CONTROLE DE PRAGAS realiza um serviço de desratização eficaz para eliminar esse tipo de praga.

A FORTEX CONTROLE DE PRAGAS é uma empresa especializada no combate de Ratos.
Existem três espécies de roedores bem conhecidos: o rato de telhado , rato de esgoto e camundongos.

SINAIS DE INFESTAÇÃO
Por serem muito ágeis, ariscos e cautelosos, conseguem se esconder com facilidade e nem sempre é possível visualizá-los. Entretanto, deixam pistas de sua infestação através de restos de alimentos, sacos de comida rasgados e fezes.

RECOMENDAÇÃO IMPORTANTE
Em casos de infestação nunca devem ser utilizados produtos sem a orientação de uma empresa especializada em desratização, sob risco de agravar ainda mais o problema e, em casos mais graves, trazer sérios prejuízos à saúde humana e até mesmo provocar a morte de animais domésticos que habitem o local.

Para problemas com ratazanas (Rattus norvegicus), rato de telhado (Rattus rattus) ou com camundongos (Mus musculus), a FORTEX CONTROLE DE PRAGAS tem a solução definitiva e segura.

METODOLOGIA DO SERVIÇO:
Inspeção
Identificação
Iscas e armadilhas
Medidas preventivas

Desratização contra ratos e controle com processo de armadilha porta iscas para matar o rato, que espanta e mata rato do tipo ratazana, rato de telhado, porão e camundongo. Para conviver próximo aos seres humanos entre todas às vantagens o rato é capaz como nenhuma outra espécie animal de adaptar-se ao meio ambiente do homem como quem passa a conviver confortavelmente, tornando-se um animal indesejável por excelência, um animal com o qual o homem convive contra a vontade.

Por isso, o controle desta praga por meio de desratização é extremamente necessário, para que tenhamos êxito devemos conhecer biologicamente o máximo possível sobre os mesmos seus hábitos e características. Além do mal estar que o rato provoca, devemos levar em consideração todas as doenças que os mesmos causam direta e indiretamente sendo que, os roedores são portadores de vírus.

Convém lembrar também que o manejo integrado a higiene local e cuidados de não deixar resto de comida em locais desprotegidos, dificulta a procriação do rato.

A FORTEX CONTROLE DE PRAGAS está preparada para agir no controle de cupins, através do serviço de descupinização de extrema qualidade e agilidade em residências, condomínios, comércios e indústrias em geral, para evitar transtornos causados por estes insetos.

A infestação por cupins é um problema que traz grande preocupação e prejuízos. Ao contrário do que muitos pensam estes animais não destroem somente madeira, mas podem devastar tecidos, plásticos, borracha, couro, revestimentos de cabos elétricos, entre outros materiais, prejudicando assim todo e qualquer lugar em que se instalem.

Os cupins formam colônias que ficam estrategicamente posicionadas no local em que se instalam. Os trabalhos de controle destas pragas exigem extremos cuidados e conhecimento, por isso a FORTEX CONTROLE DE PRAGAS investe em conhecimento técnico de alta qualidade, o que faz com que seus colaboradores tenham maior know-how, e obtenham os melhores resultados em suas atividades.


Ligue agora e peça um orçamento sem compromisso!

MOSCAS - CONHEÇA ALGUMAS CURIOSIDADES
Elas têm 30 dias de vida, período em que passam do ovo à forma adulta.

As moscas são ativas durante o dia e dormem durante a noite. Elas se alimentam de matéria orgânica em decomposição, presente em fezes e lixo. Sem dentes para mastigar, lançam saliva sobre o alimento, cuja consistência se torna pastosa.

Esses insetos acabam espalhando sujeira, podendo contaminar alimentos e propagar doenças como diarreia, cólera e febre tifoide.

Por terem duas asas, pertencem à ordem Díptera, assim como os mosquitos. Elas têm visão em 360 graus e as asas mais rápidas entre os insetos.

Há cerca de 150 mil espécies de moscas. As mais comuns são a mutuca, a mosca-varejeira, a mosca-das-frutas e a mosca doméstica.

Algumas moscas são usadas pelo homem como controle de pragas. Outras, como a mosca-das-frutas (Drosophila), em experimentos genéticos.

Em janeiro de 2012, uma nova espécie de mosca foi batizada de Scaptia Plinthina Beyoncea. O nome é uma homenagem à cantora Beyoncé - como ela, o inseto tem um traseiro avantajado. Além disso, foi encontrada em 1981, mesmo ano em que a cantora nasceu, e possui pelos dourados no abdômen, que remetem à roupa usada por Beyoncé no clipe de "Bootylicious".

As moscas não têm boca. Em vez disso, têm um tubo digestório por meio do qual vomitam uma gota de fluido estomacal no alimento que almejam consumir. O mesmo fluido é então sugado de volta por esse tubo, junto a nutrientes provenientes do alimento com que esteve em contato.

Durante o voo, as moscas atingem, no máximo, 8 km/h, apesar de suas asas baterem 20 mil vezes por minuto.

Cada um dos dois olhos das moscas tem quatro mil lentes. Isso faz com que elas tenham um amplo ângulo de visão, com acesso visual instantâneo a todas as direções.

BARATAS - CONHEÇA ALGUMAS CURIOSIDADES
O único lugar onde não existem baratas são as calotas polares – ou seja, os extremos congelantes do planeta.

Das 5 mil espécies de baratas conhecidas, apenas 1% delas são consideradas pragas urbanas.
A espécie mais comum no Brasil é a Periplaneta americana, ou barata americana. O curioso é que, apesar do nome, ela se originou na África.
O registro fóssil mais antigo de uma barata tem por volta de 200 milhões de anos (prova de que elas conviveram com os dinossauros).
Enquanto um ser humano consegue suportar 12 vezes a gravidade da Terra, a barata é capaz de aguentar 126 vezes.



Embora viva entre 5 e 6 meses – dependendo da espécie, é claro –, uma única barata é capaz de deixar 800 descendentes.
As baratas possuem pequenos pelos no abdômen que permitem detectar “vibrações” no ar e descobrir se algum inimigo (uma chinela, por exemplo) se aproxima. Essas vibrações também são percebidas através dos pelos das pernas.
As antenas funcionam como sensores gustativos, táteis e olfativos.
A audição da barata é tão sensível que ela é capaz de detectar a aproximação de outra barata, bem como pequenos tremores de terra (algo como 0,07 graus na escala Richter).
Baratas transmitem 32 doenças por bactérias, 17 por fungos, 3 por protozoários e 2 por vírus.
Quer uma ideia das doenças transmitidas por baratas? Então, aí vai: cólera, peste, febre tifoide, herpes, poliomielite, conjuntivite…
Algumas espécies de baratas podem sobreviver um mês sem uma gota d´água.
Baratas podem sobreviver vários dias sem a cabeça.
Baratas podem se arrastar dezenas de metros mesmo com as vísceras expostas depois de uma chinelada.
Se uma pata da barata for arrancada, ela pode recuperá-la em poucos dias.
Baratas não dormem, mas se recolhem durante o dia. Aliás, não custa avisar: se você costuma encontrar baratas durante o dia em sua casa, é sinal de que a população delas anda muito alta.


Baratas correm tão rápido que, se tivessem o mesmo tamanho de um ser humano, atingiriam com facilidade a velocidade de 320 Km/h.
Uma curiosidade bem nojenta (mesmo!!): baratas podem roer os seus lábios enquanto você dorme.
Agora, uma curiosidade ainda mais nojenta (meeeesmo!!!!): baratas podem introduzir a cabeça nas narinas de uma pessoa para comer secreções.
Existem mais de 1 700 espécies de ratos distribuídas por todo o planeta.
O convívio entre humanos e ratos é mais antigo do que se imagina: 10 000 anos.

 RATOS - CONHEÇA ALGUMAS CURIOSIDADES
Existem três ratos para cada ser humano no mundo.As três espécies de ratos que convivem com os humanos são o camundongo, o rato de telhado e a ratazana.

Camundongos são normalmente encontrados dentro das residências (em armários de cozinha, por exemplo); ratazanas em esgotos e buracos no solo; e ratos de telhado no lugar que lhes dá o nome.

Ratos possuem uma extraordinária habilidade para se localizar, aprender caminhos novos e criar atalhos em lugares conhecidos (em resumo: eles possuem uma noção espacial mais evoluída do que a nossa).

Uma fêmea de ratazana pode dar à luz 200 descendentes em apenas um ano.

Ratos vivem, em média, dois anos.

Ratos conseguem permanecer até 2 minutos debaixo d’água sem respirar.

Acredite se quiser, mas ratos não gostam muito de queijo. Eles preferem carboidratos e alimentos com grande concentração de açúcar.

Elefantes não tem medo de ratos e, sim, de abelhas.

Você sabia que o Larousse Gastronomique, um dos mais renomados livros sobre culinária do mundo, tem uma receita de ratos grelhados?

Aliás, você sabia também que existe um restaurante na China que, entre outros pratos, oferece ratos no cardápio?

Noventa e cinco por cento do código genético dos ratos é igual ao dos humanos.

Mais de 80% das pesquisas feitas com animais envolvem ratos de laboratório.

Noventa milhões de ratos e camundongos morrem por ano em experiências de laboratórios.

Os cientistas costumam criar ratos geneticamente modificados com o intuito de usá-los em pesquisas. Como exemplos temos os ratos diabéticos, hipertensos, obesos, anoréxicos, desprovidos de pelos…

Por falar nisso, você sabia que existem institutos de pesquisa e empresas que “fabricam” ratos geneticamente modificados por encomenda? Basta dizer que tipo de ratinho você gostaria de levar para casa (um gordinho, por exemplo), que o seu pedido será atendido.

Uma das mais bizarras experiências com ratos foi realizada no Japão. Cientistas daquele país conseguiram ressuscitar um rato que esteve congelado por – acredite, se quiser – 16 anos. Detalhe: ele foi “descongelado” e clonado.

Os ratos transmitem cerca de 55 doenças aos seres humanos. Uma das mais perigosas é a leptospirose e uma das que mais fez vítimas fatais ao longo da história é a peste.

Por peste negra entende-se a epidemia de peste bubônica que devastou o continente europeu no século XIV.

A peste bubônica é uma doença provocada pela bactéria Yersinia pestis e tem como sintomas manchas na pele, febre, surgimento de ínguas, perda de coordenação motora, confusão mental e, em muitos casos, aumento do volume do fígado e do baço.A peste negra do século XIV teve origem na China. O curioso é que o rato transmissor da doença pode ter origem na Índia.

Ainda há controvérsia sobre como a peste chegou a Europa, mas muitos estudiosos acreditam que ela tenha surgido após um ataque de mongóis à península da Criméia, mais precisamente ao porto de Kaffa. De lá, foi levada para a Europa Ocidental por mercadores genoveses e venezianos.

A peste negra recebeu esse nome provavelmente por causa das manchas pretas surgidas na pele dos infectados.

O principal agente causador da doença é a pulga que, ao picar a pessoa ou animal, transmite a bactéria para ela. Acredita-se que, na Europa do século XIV, a bactéria era transmitida dos ratos para as pulgas e, destas, para os seres humanos.

O bacilo transmissor da peste também é muito comuns em roedores selvagens como ratazanas do campo, esquilos e até marmotas.

A peste é uma velha conhecida da humanidade. Há relatos sobre epidemias no antigo Egito, na Grécia, em Roma e no Império Bizantino. Há, inclusive, referências sobre ela na Bíblia.

Ninguém suspeitou que a doença tivesse relação com a morte de milhares de ratos. Acreditava-se que ela era provocada pelo “ar ruim”, contra o qual receitava-se aspersão de água de rosas e queima de ervas.

Transmitida pela urina do rato, a leptospirose é uma doença que provoca dores, febre alta e forte hemorragia, que pode levar até à morte.

Outra doença fatal transmitida pelos ratos é a hantavirose, moléstia cujas características são síndromes pulmonares e renais, além de grave febre hemorrágica.

O que aconteceria se os ratos deixassem de existir? Sem nenhum bicho para comê-los, o lixo orgânico se acumularia nos ralos e esgotos. As tubulações entupiriam com maior frequência. Outros animais ocupariam o lugar, transmitindo o mesmo número (ou quantidade maior) de doenças.

Ratos famosos da ficção: Mickey Mouse, Jerry, Fievel, Pink, Cérebro, Super Mouse, Mestre Splinter, Remy, Plic, Ploc, Stuart Little, Timóteo, Ligeirinho, Bernardo, Bianca, Danger Mouse, Juca Bala, Níquel Náusea…

CUPINS - CONHEÇA ALGUMAS CURIOSIDADES

O cupim é um inseto predador que se alimenta basicamente de estruturas ricas em celulose, encontrada em madeira, papel, telas, tecidos, gesso e alvenaria.

Existem cerca de 2.200 espécies catalogadas de cupins, sendo que destas, 500 habitam o Brasil. Desse total, três tem importância em particular à economia da humanidade: Cupim de solo ou subterrâneo, cupim de madeira seca e cupim de pântano.

Esses insetos vivem em colônias (cupinzeiros) e, a exemplo das abelhas e das formigas, são socialmente organizados: reis, rainhas, soldados e operários.

Na primavera e no outono ocorrem as revoadas que dão lugar a novos cupinzeiros. Após voarem os siriris ou aleluias, saem em revoadas, para acasalar, caem ao solo, se livram das asas, e aos pares, procuram locais apropriados para o acasalamento e a implantação de novos cupinzeiros.

Toda madeira está sujeita ao ataque de insetos xilófagos (insetos deterioradores de madeira) desde o corte da árvore até o seu uso final como móveis, batentes, portas, telhados, etc.

Devido ao aumento das áreas urbanas, e a adaptação de algumas espécies de cupins de solo a esses locais, está ocorrendo um aumento significativo dos estragos e prejuízos que esses insetos vem causando à população. Pode-se até inferir que, será uma das principais pragas urbanas do final do milênio.

Cupins de Solo
Os maiores prejuízos em árvores e edificações são causados pelos cupins subterrâneos, que podem instalar seus ninhos em qualquer ponto da estrutura do imóvel. Com grande capacidade de deslocamento, os cupins de solo são também os de combate mais difícil.

Os componentes mais atacados por cupins de solo, em edificações, são as guarnições, rodapés, forros, armários embutidos, e etc, ou seja de preferência elementos de madeira que mantenha contato com a alvenaria. Atacam também, outros materiais celulósicos, como papel, papelão, livros e alguns tipos de tecidos.

Ainda que não se alimentem de concreto, nem de plástico, os cupins subterrâneos desgastam esses materiais para ter acesso à madeira e derivados. Costumam usar conduítes, tomadas hidráulicas ou elétricas, vãos em pisos e paredes como caminhos naturais que facilitam a construção de túneis, necessários à sua subsistência, conseguindo, com isso estender o alcance de seu ataque à edificação.

Uma colônia de cupim subterrâneo, é uma sociedade bem organizada em castas de indivíduos: Rei, Rainha, Operários, Soldados etc. Cada um com funções bem definidas. Os operários cuidam dos trabalhos gerais da colônia, constroem a madeira. Os soldados, com suas poderosas mandíbulas, defendem a colônia contra outros insetos, inimigos naturais dos cupins, como por exemplo, as formigas.

Cupins de madeira seca
Os cupins de madeira seca também se alimentam de madeira ou material celulósico, mas suas colônias são menores, com ninhos instalados na própria madeira de que irão se alimentar. Os móveis de compensado ou de madeiras de baixa resistência São os mais facilmente atacados pelos cupins de madeira seca.

ARANHAS - CONHEÇA ALGUMAS CURIOSIDADES
Aranhas são animais da classe dos aracnídeos, a mesma dos escorpiões, opiliões, ácaros e carrapatos (lembre-se bem: aranhas não são insetos!).

As palavras “aranha” e “aracnídeo” vieram do grego arachne, que era a palavra usada para se referir a esses animais.

Com exceção da Antártida, as aranhas são encontradas em todos os continentes.

Existem quase 40 mil espécies de aranha no mundo. Acredita-se, no entanto, que esse número seja maior, uma vez que muitas espécies jamais serão descobertas pelas ciência.

No Brasil, são 4 mil espécies de aranhas – 10% do total mundial.

A maior aranha do mundo é a aranha-golias – ou aranha-golias-comedora-de-pássaros -, da América do Sul, que chega a incríveis 30 centímetros.

A menor aranha conhecida é a Patu digua, também da América do Sul, com apenas 0,37 milímetros.

A teia de aranha é formada por uma proteína secretada de glândulas chamadas de sericígenas. Ela é usada como armadilhas para insetos (as teias de captura), casa (teias de refúgio), depósito de esperma (teias de cópula, usadas pelos machos de determinadas espécies para depositar o esperma antes de colocá-lo na fêmea) e para troca de esqueleto (teias de muda, nas quais algumas espécies abandonam o esqueleto externo pendurados).

A aranha viúva-negra possui esse nome porque as fêmeas costumam devorar o macho após o acasalamento.

Uma das espécies mais curiosas é a Argyroneta aquatica. Ela é conhecida como a única aranha completamente aquática do planeta. A Argyroneta vive em lagos da Europa e Ásia.

Existe uma espécie de aranha, a Arachnura higginsi, que tem o formato de um rabo de escorpião. O curioso é que ela não se parece apenas com um escorpião, ela se movimenta como se fosse um.

Nenhuma espécie é mais curiosa do que a a aranha Stegodyphus lineatus. Após o acasalamento, a fêmea produz um saco carregado de ovos, que abre após 30 dias. Liberados, os filhotes se alimentam de um fluído regurgitado pela mãe, até que… passam a devorar a própria mãe.

Aranhas possuem sangue transparente.

A maioria das espécies de aranha possui 8 olhos. Existem, no entanto, aranhas das cavernas cegas.

Entre as espécies mais peçonhentas do mundo estão a viúva-negra, a aranha-marrom, a armadeira e alguns tipos de caranguejeira.

Das espécies mais perigosas, três são comuns no Brasil: a viúva-negra, a aranha-marrom e a armadeira.

Os acidentes com a viúva-negra são provocados pela fêmea, já que o macho é pequeno e não pica.

Metade dos acidentes com aranhas no Brasil são provocados pela armadeira. Seu veneno provoca alterações no sistema nervoso central da pessoa picada. Apesar de dolorida, a picada provoca menos danos do que a da aranha-marrom. Crianças pequenas podem apresentar queda de pressão, arritmia cardíaca e água nos pulmões (em alguns casos, pode levar à morte).

Acidentes com a aranha-marrom são muito comuns no Sudeste e Sul do Brasil. De início, a picada não dói, mas, com o passar do tempo, provoca vermelhidão e inchaço. Se não for tratada logo, a pele da vítima pode necrosar.

Pode ser de três tipos o veneno das aranhas: hemolítico (que destrói os glóbulos vermelhos do sangue), proteolítico (que age nos tecidos dos músculos e da pele) e neurotóxico (que atinge o sistema nervoso central).Fontes: Super Interessante, National Geographic, Wikipedia, Pesquisas de Conhecer, Nova Enciclopédia Ilustrada Folha, Fiocruz.


Existem por volta de 1 500 espécies de escorpiões em todo o mundo. Alguns, porém, afirmam que esse número é bem maior, chegando a 2 000.

As espécies menores medem cerca de 2 centímetros e as maiores – acredite se quiser – quase 20 centímetros.

Os escorpiões existem há pelo menos 400 milhões de anos. É difícil de acreditar, mas eles conviveram com os dinossauros.

Um dos mais primitivos e fantásticos parentes do escorpião é o pterygotus, que viveu no Paleozóico (cerca de 400 milhões de anos atrás). Alguns fósseis são do tamanho de um homem de 1,80 metros – prova de que eram animais gigantescos.
 ESCORPIÃO - CONHEÇA ALGUMAS CURIOSIDADES
Das 1 500 espécies de escorpiões, apenas 20 são venenosas. Das 160 que vivem no Brasil, os venenosos não chegam a 4.

Escorpiões venenosos mais comuns no Brasil: Tityus serrulatus (escorpião amarelo), Tityus bahiensis (escorpião marrom), Tityus stigmurus (escorpião amarelo do Nordeste , Tityus paraensis (escorpião preto da Amazônia)

Ao contrário das serpentes, cujos venenos variam, os escorpiões produzem um único tipo de veneno. A vantagem é que um único tipo de soro podem salvar a vítima da picada de qualquer escorpião venenoso.

Além de dores fortes, a picada do escorpião provoca sudorese, náuseas, vômitos, insuficiência cardíaca e falta de ar. As vítimas normalmente morrem por asfixia. Detalhe: os riscos são maiores para idosos e crianças pequenas.

O número de mortes de seres humanos provocadas por ataques de escorpiões varia entre 800 a 2 000 por ano em todo o mundo.

Os estados brasileiros com maior número de acidentes com escorpiões são: Bahia, Pará, Pernambuco, São Paulo e Minas Gerais. O campeão nesse tipo de ocorrência é Minas Gerais.

Escorpiões costumam se alimentar de baratas e outros insetos. Além de picar as vítimas, eles (detalhe: apenas a vítimas grandes), vamos assim dizer, “vomitam” uma enzima nelas para serem mais facilmente comidas.

Escorpiões são imunes ao próprio veneno. Aliás, a lenda de que escorpiões se suicidam não passa disso: uma lenda.Escorpiões não atacam pessoas, eles apenas se defendem.

Fêmeas de escorpiões não botam ovos. Elas “parem” os filhotes que vão, pouco a pouco, juntando-se no dorso da mãe.

A fêmea T. serrulatus (escorpião amarelo) é capaz de se fecundar sem a presença de um macho. Esse tipo de fenômeno é chamado de partenogênese.

O que fazer em caso de picada de escorpião?

01 – Lave o local da picada com água e sabão;

02 – encaminhe imediatamente a vítima a um posto de saúde, pronto-socorro e hospital;

03 – capture o animal e leve num vidro lacrado para auxiliar na sua identificação.A

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Anúncio Google

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas