ANÚNCIOS

Últimas Notícias

Pai obriga filho a ir correndo para o colégio após cometer "bullying" contra colegas

(Foto: Reprodução)
Até que ponto um pai pode ir para tentar ensinar uma lição ao filhoNos Estados Unidos, o caso do homem que castigou o filho de maneira radical, após o garoto ser acusado de fazer bullying contra os colegas, rendeu críticas e elogios.

Bryan Thornhill, morador do estado norte-americano da Virginia, decidiu fazer o filho ir para escola correndo, depois que o garoto de 10 anos foi impedido de apanhar o ônibus escolar por arrumar confusão e cometer bullying contra os colegas no transporte.

O que agravou o castigo foi o fato de no dia escolhido estar chovendo. O menino teve de seguir o transporte escolar, e seus passos durante o castigo estavam sendo transmitidos ao vivo no Facebook.

“Olá a todos, ouçam o pai de 2018. Expulsaram meu filho do ônibus escolar por três dias por ser um pequeno valentão. Não vou tolerar isso, não suporto isso. Agora ele tem que ir correndo para a escola, e estamos a quase dois quilômetros de distância. Então, durante toda a semana, ele terá a experiência de ir correndo. A boa notícia é que ele tem um ritmo muito bom. Só queria mostrar isso a vocês e fazer com que riam um pouco”, diz o homem enquanto gravava a situação do próprio filho.

A gravação rapidamente viralizou e, desde 1º de março, quando foi feita, acumulou mais de 32 milhões de reproduções e 621 mil compartilhamentos. Gerou também aparições na TV, como a norte-americana Fox News e o tablóide inglês Daily Mail.

“Eduquem seus filhos. Não sejam amigos, sejam pais. É disso que as crianças precisam hoje em dia”, opinou o homem, que considera sua ideia “uma forma saudável de castigo”, pois envolve fazer exercícios. Para Thornhill, isso é “educação infantil simples e da velha escola”, baseando-se no princípio de que seus filhos “têm que pagar o preço quando fazem algo (de errado)”, disse ao jornal El País.

Com a enorme repercussão, Thornhill se assustou, pois não esperava que havia tamanho alcance. O rígido pai chega a afirmar que "98% das pessoas amam e apoiam" sua atitude, e ainda chega a receber pedidos de pais que pedem "conselhos sobre castigos criativos".

Apesar da maior quantidade de apoio ao castigo, houve quem discordasse da atitude e recriminasse a atitude do pai. Alguns acusaram Thornhill de abuso infantil. “O fato de gravar e mostrar ao mundo é completamente desnecessário. Alguma vez você já pensou que talvez haja uma razão para que ele esteja virando um valentão? Talvez seja por alguma coisa que está acontecendo com ele”, comentou um internauta.
 
Redação O POVO Online

Nenhum comentário