ANÚNCIOS

Últimas Notícias

Tragédia com ônibus em SP: três cearenses estão entre os mortos

Três cearenses das cidades de Canindé e Mauriti estão entre os mortos do acidente que deixou, na noite dessa quarta-feira, em São Paulo, 18 vítimas
fatais. O acidente, com um ônibus que transportava estudantes universitários, aconteceu na Rodovia Mogi-Bertioga, e deixou, entre os mortos, as cearenses Maria Udilane Marcena de Sousa e Daniele Dias, ambas de 23 anos e naturais do município de Canindé, e Damião Nunes Praz, de 33 anos, da cidade de Mauriti.

A informação sobre Marcena e Daniele foi transmitida ao site cearaagora.com.br pelo radialista Wellington Lima, da Rádio FM 89.5, da cidade de Aratuba, que cobre as Regiões do Maciço de Baturité e Sertões de Canindé. Welington conversou com a senhora Maria José ( Dona Tete), avó de Maria Udilane Marcena de Sousa.

A neta, segundo Dona Tete, juntamente com os pais, morava há 20 anos em Bertioga, mas sempre visitava os demais familiares que residem no Distrito de Salitre, Município de Canindé. Assim como Udilane Marcena, Daniele Dias t
ambém visitava seus familiares na comunidade. Dona Tete contou, ao falar com o repórter Wellington Lima, que os familiares estavam esperando a liberação dos corpos para sepultamento das duas jovens, que deverá acontecer em Bertioga.

MAURITI

Alem das duas canindeenses está também entre as vitimas o ajudante de pedreiro Damião Nunes Praz, de 33 anos. Ele também era estudante de Engenharia Civil da Universidade de Mogi das Cruzes (UMC) e sonhava em se tornar engenheiro.

De uma família de dez irmãos da cidade de Mauriti, no interior do Ceará, Praz morava há 15 anos na Praia da Barra do Una, em Sebastião, no litoral norte de São Paulo. Seu primeiro emprego na cidade paulista foi como auxiliar de cozinha, mas logo migrou para a construção civil. Com as próprias mãos, construiu a casa onde vivia com a família e se preparava para erguer a segunda.

Uma de suas irmãs, a empregada doméstica Josefa Margarida Praz, de 39 anos, chegou por volta das 5 horas desta quinta-feira, 9, ao Instituto Médico Legal (IML) do Guarujá, no litoral sul, e reconheceu o corpo.

Segundo Josefa, o irmão trabalhava desde o 7 anos na roça e era o único da família que ingressou na universidade. “Ele trabalhava o dia inteiro como pedreiro e à noite ia para a faculdade”, disse. “A dedicação dele era o trabalho.”

“Estou triste pelo acidente, mas nada vai trazê-lo de volta”, declarou a irmã, que definiu Praz como “uma pessoa tranquila, de poucas palavras”.
Acidente

De acordo informações oficiais, o veículo levava estudantes da UMC e da Universidade Braz Cubas (UBC) para a cidade de São Sebastião, no litoral norte de São Paulo. Também estariam no coletivo alunos da Escola Técnica Estadual (Etec) de Mogi.

O acidente aconteceu no km 84, entre Mogi das Cruzes e Bertioga. Ainda segundo informações dos bombeiros, o motorista perdeu o controle do veículo, colidiu de frente com um rochedo na pista contrária e caiu em uma ribanceira. O condutor morreu no local. Abaixo o depoimento da avó de Maria Udilane Marcena de Sousa.


Com informações do radialista Wellington Lima, da FM 89.5 – Somzoom Maciço do Baturité/Sertões de Canindé e Conteúdo Estadão.

Nenhum comentário