Últimas Notícias

13 dezembro 2018

Ex-servidores desviavam pagamento de terceirizados da prefeitura de Limoeiro do Norte


Casal chegou a abrir seis lojas de uma rede de chocolates.

Seis pessoas foram presas em operação do Ministério Público do Ceará nesta quarta-feira (12), sendo cinco ex-funcionários da Prefeitura de Limoeiro do Norte e um advogado. Três mandados de prisão ainda não foram cumpridos. As investigações apontam que uma empresa foi contratada pela prefeitura da cidade para terceirizar a mão de obra e não repassava o pagamento para todos os funcionários. Parte do dinheiro era desviado para as contas de servidores, de acordo com o promotor Patrick Augusto Correia de Oliveira, que coordena a operação.

Os presos são Mardonio Márcio Palhares Gomes, Maria da Silva Carneiro, Marília Miriam Vieira Araújo, Niljane de Lima Rocha e Thiago Chaves Nogueira (presidente da Comissão de Licitação na gestão municipal anterior), além do empresário Fábio Lima Furtado.

O Ministério Público estima que o esquema de fraude movimentou R$ 8 milhões entre 2013 e 2016. Os suspeitos são investigados pelos crimes de organização criminosa, falsidade ideológica, fraude em licitação e lavagem de dinheiro, entre outros. As prisões ocorreram em Limoeiro do Norte, Russas e Jaguaretama.

Segundo apontou a investigação do MPCE, com o dinheiro captado pelo esquema, um casal de servidores chegou a adquirir franquias, entre elas, seis lojas de uma rede de venda de chocolates, além de outros bens como veículos, inclusive um desses, com a logomarca da empresa, foi apreendido em frente ao estabelecimento comercial durante a operação.

Três suspeitos de participação na fraude não foram localizados em seus endereços durante a operação.

Operação Veniet

A Operação Veniet é realizada pela 3ª Promotoria de Justiça de Limoeiro do Norte, pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) e pelo Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc), além da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE). Até a publicação, os membros do MPCE ainda estavam em diligências.

Também foram expedidos 29 mandados de busca e apreensão, sequestro e indisponibilidade de bens, de acordo com o MPCE. Foram apreendidos documentos, quatro veículos e um caminhão. Cerca de 100 policiais civis e promotores de Justiça participam da ação. O nome da Operação significa que a Justiça tarda mas não falha.

Red; DN

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Anúncio Google

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas