Últimas Notícias

TV SERRANA

14 maio 2018

Ataques voltam a acontecer em Juazeiro Norte (CE); dois prédios públicos são alvos


Dois prédios públicos registraram ataques na manhã deste domingo (13), neste Município no Cariri cearense. Por volta das 6h, atearam fogo em uma caminhonete estacionada no pátio do Departamento Municipal de Trânsito (Demutran), que ficou completamente destruído. Além disso, o Teatro Municipal Marquise Branca foi alvo de um coquetel molotov, mas não houve muitos prejuízos. A Polícia suspeita que os crimes tenham envolvimento com os ataques aos ônibus de ontem (12). Já são quatro, em menos de 24h na cidade.

A Polícia prendeu quatros suspeitos de participação nos ataques, além de apreender um adolescente de 16 anos. Primeiramente, um trio, composto por irmãos, incluindo o menor de idade, foi encontrado na casa da mãe deles, no bairro João Cabral, e levado à delegacia de Juazeiro do Norte.

Em depoimento à Polícia, a mãe dos suspeitos nega a participação dos filhos no ataque e alega que eles estavam com ela. Os dois adultos foram identificados como Marcos Felipe Santos, de 19 anos, e Luiz Fernando Santos da Silva, de 18 anos. O adolescente foi flagrado, segundo a Polícia, com garrafa que continha gasolina.

Outros dois irmãos também foram presos suspeitos de participar dos ataques. Eles foram identificados como Daniel da Silva Souza e Marciel da Silva Souza.

No Demutran, a caminhonete destruída era a única responsável pela recuperação dos semáforos. No entanto, as chamas atingiram outro veículo, um caminhão que faz a pintura das ruas, responsável pela sinalização horizontal. Este último, ficou parcialmente queimado. O órgão municipal fica vizinho à Guarda Civil Municipal, ao Corpo de Bombeiros, à Delegacia Regional de Juazeiro do Norte e ao 2º Batalhão da Polícia Militar. A ação foi rápida e não houve tempo do fogo ser contido.

Um pouco mais tarde, por volta das 6h30, um coquetel molotov – arma química incendiária geralmente feita de garrafas – foi arremessada no Teatro Marquise Branca, no bairro Santa Tereza. Funcionários se assustaram com a bola de fogo que veio do teto, mas conseguiram conter as chamas antes de se espalharem.

Ataques eram previstos, diz Polícia

O comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, Major Luciano Rodrigues, disse que os ataques já eram previstos desde a última sexta-feira (11), quando uma decisão da Justiça impediu que visitas aos detentos da Penitencia Industrial Regional do Cariri (Pirc), em Juazeiro do Norte, acontecessem neste fim de semana.

Por isso, um grande efetivo de policiais está nas ruas, principalmente em Juazeiro do Norte, alvo dos ataques até agora. O oficial garantiu que só vai tirar quando a população se sentir segura. “A gente fez a operação esperando alguma retaliação, imaginando algo ainda pior”, explica o Major Luciano Rodrigues.

Entenda o caso

A Polícia suspeita que os incêndios dos dois ônibus partiram de ordens dos presidiários da Penitencia Industrial Regional do Cariri (Pirc). Na última sexta-feira (11), a 2ª Vara Criminal da Comarca de Juazeiro do Norte cancelou as visitas íntimas de familiares, o pernoite do Dia das Mães, que aconteceriam de sábado até domingo, declarando inconstitucional e ilegal. A medida é autorizada pela Portaria 01/2018 da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus).

A decisão partiu do juiz de execuções penais, Péricles Victor Galvão de Oliveira, com base na Lei 7.210/84. Hoje, a Pirc possui 709 presos, mas sua capacidade é para 549 internos. Por isso, o magistrado acredita que o equipamento não tenha agentes penitenciários suficientes para garantir a segurança nestes dois dias já que, com as visitas, o número de pessoas no local poderia dobrar. Os presidiários foram pegos de surpresa, assim como seus familiares, que fariam a visita na manhã de sábado (12). Muitos vieram de outras cidades e reclamaram que não foram avisados.

Diário Cariri


Nenhum comentário:

Postar um comentário



Anúncio Google

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas