Últimas Notícias

24 outubro 2016

O PROFESSOR RILMAR CAVALCANTE FALA DO RETROCESSO E A DEVASTAÇÃO DO TRABALHO NO GOVERNO TEMER.

Governo Temer é o desmonte da legislação social do trabalho. Seu governo, em particular, é o mesmo de FHC, no aspecto ideológico, o neoliberalismo. Introduzido no Brasil, a partir da década 1990, em sua política contra o social. Nos oito anos de FHC, tivemos consequências significativas, tais como, aumento de concentração de riqueza, avanços dos lucros e ganho do capital, incrementados com a privatização de empresas públicas, além da desregulamentação dos direitos trabalhistas.

     Nos governos petistas ocorreu em conciliação política poli classista preservando os grandes interesses de uma parte burguesa, contudo, havia um ponto de diferenciação, a inclusão de programas sociais, como o bolsa família, uma política salarial, educação para todos através de cotas e criações de Universidades federais, projetos habitacionais, etc.

     As rebeliões de junho de 2013 foram avisos da exaustão do governo PT, portanto, fatos de comprovação nas eleições de 2014, após a estas, a crise econômica se configurava, e os setores do capital, que até então, ganhavam muito; o governo querendo um ajusto fiscal que acabou em tragédia, que levou o governa de Dilma Rousseff há uma crise terminal do seu governo. Por outro lado, também, o desalento dos seus eleitores das classes populares, tais consequências vividas hoje.

     A grande mídia e o capital estrangeiro em conluio com políticos corruptos deflagram um golpe. O parlamento e o judiciário com apoio das grandes corporações mediáticas; traição do vice Terme e na câmera, com seu presidente, Eduardo Cunha, antes aliados do PT, enquanto havia lua de mel com o PMDB.

     O golpe parlamentar sem provas cabais, ao mesmo tempo, inocenta a presidenta Dilma Rousseff, de perda dos direitos políticos, isto é, comprovadamente, uma contradição jurídica. É condenar o inocento e dizer que ele não cometeu crime nenhum.

     O governo golpista mantém uma pauta imposta por quem financiou, já que, o capital exige, na profundeza da crise, que se faça uma demolição dos direitos do trabalho no Brasil. Viveremos no governo Temer uma época de terceirização governamental. Tudo isto acarreta na privatização do que resta de empresas estatais, para preservar os grandes interesses dominantes e destrocar os direitos do trabalho.

    É lamentável que todo devastação das conquistas populares da previdência, da saúde e educação pública; neste governo golpista não se fala em tributação bancária, dos capitais e nem das grandes fortunas.

     O caminho são as lutas sociais, somente, elas poderão submergir o país a uma democracia plena e de igualdade social.

Professor: Antônio Rilmar Cavalcante

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Anúncio Google

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas