Últimas Notícias

09 outubro 2015

Secretaria da Segurança apresenta resultados da “Operação Brasil Integrado”

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS/CE) realizou, nos últimos dias 07 e 08 deste mês, a “Operação Brasil Integrado – Proteção à Vida”, no Ceará. Pactuaram ações os estados de Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, além do Distrito Federal. No Estado, participaram membros das Polícias Rodoviária Federal (PRF), Militar (PM) e Civil (PC), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Perícia Forense (Pefoce), Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e as Forças Armadas.
Foram realizadas prisões em flagrante e cumpridos mandados de prisões por diversos crimes no Ceará, assim como patrulhamentos táticos e barreiras policiais em pontos estratégicos para inibir e reprimir delitos como homicídio, porte ilegal de armas e explosivos, roubo e tráfico de drogas. O objetivo é fortalecer a integração entre as forças de segurança pública em toda a região e intensificar o enfrentamento conjunto ao crime e à violência.

Ações
Foram montados, no Ceará, 250 bloqueios policiais e patrulhamentos terrestres, para os quais foram designados 1.801 agentes das forças de segurança federais e estaduais, estando entre eles: 1.024 da PM, 314 da PC, 8 do CBMCE, 368 da PRF, 28 das Forças Armadas e 67 das forças parceiras – com a Abin e Sefaz.

Foram realizadas abordagens a 4.033 pessoas e revistas de 4.357 veículos, dentre carros, motos, ônibus e caminhões, em todo o Estado. Também ocorreram 14 fiscalizações de produtos perigosos. Durante a operação, foram apreendidas 34 armas de fogo – sendo 26 revólveres, cinco pistolas e três espingardas e 295 munições.
Somente no Ceará, 538 pessoas foram capturadas e 80 adolescentes apreendidos – sendo nove adultos e quatro adolescentes pelo crime de homicídio. Em relação às drogas, foram apreendidos 12,9 quilos de maconha, cocaína e crack.

O destaque da ação se dá pela integração entre as forças de segurança federais e estaduais. Segundo o representante da Coordenadoria Integrada de Segurança Pública do Nordeste (CISP/Nordeste) no Ceará, Delegado Fernando Menezes, a troca de informações e de conhecimento entre todos os setores dos órgãos envolvidos traz, além de experiência, maior agilidade nos procedimentos. “A integração entre as forças leva a informações precisas, atividades ostensivas conjuntas e a familiaridade das operações. Desta maneira, podemos equacionar uma operação de forma mais harmônica, uma vez que as formas diferenciadas de abordagens levam ao êxito total da operação”, ressalta.
Balanço Geral
A ação coordenada pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça (Senasp/MJ) resultou na prisão de 884 adultos acusados de crimes diversos, sendo 89 por assassinato, além da apreensão de 130 armas de fogo e 854 munições, nos dias 7 e 8 de outubro. Do litoral do país ao Cerrado, foram realizados 690 bloqueios e 1.728 patrulhamentos terrestres. Foram abordadas 27.247 pessoas e 15.584 veículos.
As ações se concentraram em rodovias, pontos de limite entre municípios e de divisa entre estados, além de áreas críticas nas regiões metropolitanas de cada estado. Também houve fiscalização de produtos perigosos, especialmente explosivos. Foram mobilizados a cada dia 5,6 mil integrantes das Polícias Militar, Civil e Técnica (perícia), Federal, Rodoviária Federal, assim como reforços pontuais da Força Nacional de Segurança Pública, Corpos de Bombeiros, Guardas Municipais, Forças Armadas, Agência Brasileira de Inteligência e Sistema Penitenciário.
Flagrantes e apreensões
O resultado foi a prisão de 731 adultos em flagrante por diversos crimes – inclusive homicídios, latrocínio e lesão corporal seguida de morte – e outras 143 em cumprimento a mandados de prisão. Também foram apreendidos 102 adolescentes que cometeram atos infracionais durante a operação, sendo cinco por homicídio. As apreensões somaram ainda quatro quilos de explosivos e 105 quilos de maconha, 10,5 quilos de crack, 2,7 quilos de cocaína.

As ações foram coordenadas pela Secretaria Nacional de Segurança Pública do Ministério da Justiça, órgãos federais envolvidos e as Secretarias de Segurança dos Estados.

Todos os órgãos participantes trabalharam em esquema de atuação integrada, semelhante ao executado na Copa do Mundo, utilizando como unidade de referência o Centro Integrado de Comando e Controle Nacional (CICCN), de Brasília, e os Centros Integrados de Comando e Controle (CICCs) estaduais, de Fortaleza, Natal, Recife, Salvador Goiânia e Brasília.


Esta foi a sétima edição da Operação Brasil Integrado. A intenção do governo federal é perenizar o processo de integração permanente das polícias – Militar, Civil, Rodoviária e Federal – e outros órgãos, tendo como ponto central a utilização dos centros integrados de Comando e Controle criados para a Copa do Mundo e montados nas 12 cidades-sede da competição. Até 2018, o MJ deve instalar Centro Integrados nas outras 15 capitais dos estados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário



Anúncio Google

Post Top Ad

Your Ad Spot

Páginas